quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Sobre o papai-noel aidético e sem barba do ônibus

Hoje eu senti vontade de vomitar um monte com aquelas luzinhas de natal já acesas e aquele cheiro forte de merda vindo do esgoto mal coberto e aquele balançar brusco e constante.
E toda aquela gente magra e doente subindo no ônibus. Tão melhores do que eu.
Aqui tão limpinha, tão ilesa. Tão virgem. Tão sentada.

6 comentários:

Tati Plens disse...

muitas vezes tão mais vivos que qualquer um de nós.

Doc Lee disse...

"Tão virgem."

Sei.

(RÁ RÁ, SEMPRE TEM UM BABACA)

duda disse...

Eu ia botar "virgem de vida" pra garantir, mas achei que ninguém fosse fazer a brincadeirinha. hahahaha

Michele disse...

sem estrelas...
e quem as precisa?
linda noite neste céu alto e escuro.
sem barba...
papai-noel, acredite, tu ainda és belo,em teu cenário de merda.

Bruna Hilário. disse...

Virgem das orelha, hihi

Jaime disse...

tudo tão profundo assim por aqui? não tem música, mas nem precisa. né?