sexta-feira, 24 de abril de 2009

My bloody gargantine

Hoje senti saudades dos pontos na boca e do gosto do sangue quente sendo engolido com saliva. Como saliva.
Parecia com um lar.
Um lar estreito. Eu caminho caminho neste corredor apertado e por mais que eu afunde um pouco na bosta é sempre macio.
Entorpecida pela luz amarela aqui. Casa.
O assoalho que range sob nosso peso de domingo. O cheiro do alho e do creme azul da avon nas mãos cheias de veias da minha mãe. O seio macio. O suor sobre os labios finos lindos dela. O suor no cabelo dela. Eu queria poder secar e curar tudo nela com minha língua áspera.

2 comentários:

Daniel M Miranda disse...

meuuuu! ontem pela noite eu tava escrevendo uma coisinha que fala sobre pontos na boca... (sejam eles feitos com linha ou de pontos mesmo...)... mas aí joguei fora... então até parece mentira... :-D

Tati Plens disse...

lugar quente...